28 novembro 2009

Poema sem título

Senza titolo

As palavras estão caindo
assim pelo meu caminho...
Tento segurá-las aqui dentro
Mas minhas mãos são vento...

Tenho alguns amores e vícios:
Eu vago na poesia de Vinicius!
E me perco facilmente no branco
silêncio do teu sorriso

Meu medo é do tudo
Minha ânsia é o tudo
Por isso, rio alto como um soluço
Para o medo assustar,
Pra ânsia angustiar.

É só a poesia que tem pena de mim
Escrevo quando ela me chama.
Quando ela me chama,
Eu sou feliz
Quando ela me ama.

Agora, quero um poema sem título
Que só eu conheça,
Que só a mim pertença,
Que só eu possa mastigar
E que tenha olhos azuis
Azuis da cor do amar....

Bruna Ross

4 comentários:

Fernanda Bastos disse...

Poema novo!!!
Nhami, nhami...

Beijo!

Fernanda R. Campos disse...

muito legal, amiga: clássico, sutil e atravessando as nossas camadas!

Felina disse...

eyahhhh, come va bionda?
mi manchi...tanti tanti baci..

LiLa BoNi disse...

Muito bom...adorei !!!
Volto !!!
Mil beijos!!!!