07 junho 2009

Que você me cale

Cale-me

É frio...

É cinza...
É sem sentido
aquilo que entra pelo meu ouvido.
Eu preciso negar você, eu preciso
de calor, amor e Beatles
porque é frio
quando o céu tem aquele cinza
e sonho coisas sem sentido.
Eu preciso amar você, eu preciso
de ar, malas e um curso de inglês
porque em Londres não vai fazer frio
nem céu cinza até o fim do mês.
O que eu digo não faz sentido
mas o que eu quero você sabe
Quando for frio,
que o mar me abrace.
Quando tudo estiver cinza,
que a noite me ache.
Quando nada fizer sentido,
que você me cale.

Bruna Ross

4 comentários:

Adry disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mineiroca disse...

Lindo lindo trenzin!


Se potessi far tornare indietro il mondo
Farei tornare poi senz’altro te
Per un attimo di eterno e di profondo
In cui tutto sembra, sembra niente c’è
Tenersi stretto, stretto in tasca il mondo
Per poi ridarlo un giorno solo a te
A te che non sei parte dell’immenso
Ma l’immenso che fa parte solo di te
Solo di te...
Negramaro - L'imenso.

Hawkdiary disse...

seu poema é bom!!
simples,direto, e preciso!!
continue que voce tem jeito!!

Suelen disse...

Que bonito..que talento escondido...Parabéns..belas palavras...adorei!! :)